Casa Noticias Câncer de próstata: por que os homens bloqueiam o assunto?

Câncer de próstata: por que os homens bloqueiam o assunto?

por Lud Hayashi
O Novembro Azul é uma campanha de alcance mundial que tem por objetivo conscientizar a população sobre as doenças masculinas, com foco especial na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata. Segundo Celso Neto, psicólogo e docente da PUCPR Londrina, a campanha é importante porque evidencia a saúde do homem e, com isso, tem o poder de mudar e criar novos hábitos e práticas.
AEN-PR

AEN-PR

Apesar de toda a relevância, é sabido que muitos homens bloqueiam o assunto e não gostam de falar sobre o câncer de próstata. “Esse assunto reúne dois grandes tabus da nossa sociedade. O primeiro é relativo ao câncer”, aponta Neto. Quanto a esse fator, o psicólogo argumenta que, na maioria das vezes, as pessoas não gostam de falar sobre o câncer, chegando ao ponto de sequer citar o nome da doença.
“Além disso, em segundo lugar, existe um tabu relativo à próstata. Nesse caso, a questão está intimamente ligada com a construção do que se entende por masculinidade. O câncer de próstata é, geralmente, encarado como um problema no órgão genital masculino, que é, por sua vez, encarado como sinônimo de masculinidade”, conta o psicólogo.
O docente aponta que um dos maiores problemas que os homens enfrentam com relação à saúde está na recusa a ir ao médico para a realização dos exames preventivos. “Uma prática que é ensinada aos homens como própria do gênero masculino é justamente a ideia de ser uma pessoa forte, no sentido de que está pronta para encarar os problemas da vida sem que precise da ajuda de alguém”, argumenta.
Para o profissional, o problema pode começar a ser resolvido quando os homens começam a questionar a construção da masculinidade. A questão é importante porque, segundo Emerson Gregório, urologista e professor da PUCPR Londrina, o diagnóstico precoce de doenças, em especial do câncer de próstata, eleva as chances de cura, que podem chegar a até 90%.
“O diagnóstico precoce é a única forma de garantir a cura ou minimizar os efeitos nocivos de um tratamento para o câncer”, aponta Gregório. Para isso, é importante que o homem esteja sempre atento à saúde e realize os exames preventivos. O urologista indica que os exames para a detecção do câncer de próstata são dois: o PSA (Antígeno Prostático Específico) e o toque retal. “É importante lembrar que esses dois exames se complementam e um exame não exclui o outro no caso de normalidade de um deles”, ressalta.
O urologista indica que o tratamento do câncer de próstata é realizado conforme o estágio em que a doença está no momento do diagnóstico. Nas opções, estão inclusas a vigilância ativa, a braquiterapia, a radioterapia externa e a cirurgia de prostatectomia radical, que consiste na retirada da próstata e das vesículas seminais. “Quando o tumor é detectado no início e é de baixo risco, qualquer técnica é adequada. Porém, para tumores localizados de maior risco, a cirurgia é a melhor opção”, indica.
Para auxiliar os homens, o urologista faz uma recomendação: “Cuidar da saúde é algo essencial para anos tranquilos e de muita felicidade com a família. Por isso, procure um médico!”.

Artigos relacionados

Deixe um comentário