Home Noticias Cromoterapia: da estética ao bem-estar

Cromoterapia: da estética ao bem-estar

por Lud Hayashi

Quando o assunto é decoração de uma casa, existem diversas maneiras de colocar a criatividade em cena e repaginar os ambientes, seja com móveis, objetos ou pinturas nas paredes. Mas, pouca gente sabe que, nesse universo de possibilidades, a escolha das cores vai além da questão estética. No estudo da cromoterapia, prática que utiliza a luz das cores para o tratamento de algumas doenças, cada cor tem uma função. Colocadas na proporção certa, elas podem trazer vários benefícios à saúde mental e física, como maior disposição, diminuição de transtornos do sono, alívio dos sintomas de algumas doenças, ativação do sistema nervoso central, melhora em dores de cabeça e circulação sanguínea.

Ela detalha que, no inconsciente das pessoas, existem códigos visuais que são associados às sensações diversas, como, por exemplo, às cores vibrantes, que trazem sentido de urgência. “Em geral, essas cores nos deixam em estado de alerta e ativos. Já os tons mais frios, claros e neutros nos transmitem calma, relaxamento e contemplação. No entanto, esses códigos não são únicos e imutáveis. São sempre associados a outros elementos como texturas, diferentes materiais, luz, enfim, toda a comunicação visual”, complementa a arquiteta.

De acordo com a profissional, quando o indivíduo pensa em um espaço todo branco, o inconsciente – naturalmente – vai para referências de lugares limpos, porém frios, sem vida, sem aconchego. “Já, ao adicionarmos texturas, iluminação, aromas, sons, entre outros elementos, estimulamos as sensações de acolhimento, conforto e sofisticação. Por isso, ressalto o quão é necessário um estudo mais profundo em relação à psicologia das cores e aos efeitos de cada uma nos ambientes.”

Portanto, a partir dos efeitos que se pretendem obter, seja de aumento da concentração, relaxamento, contemplação ou energização, o uso da cor e de outros elementos compõe esse resultado. “Importante frisar que, para isso também é necessária a contratação de um profissional que tenha conhecimento de cromoterapia, para que o uso não só das cores, mas de todos os materiais componentes do projeto que aguçam os sentidos, sejam mais assertivos”, complementa Cardoso.

E se o morador quiser deixar todos os ambientes coloridos? Para não errar na questão estética aliada ao bem-estar, a arquiteta aconselha que haja planejamento de um profissional que saiba trabalhar com ambientes multicoloridos. “Temos uma infinidade de cores, materiais e elementos decorativos para uma composição. Então, o desafio de trabalhar com ambientes multicoloridos é de focar em um ambiente de cada vez ou ter um recorte do espaço. Nesse caso, sem a visão do conjunto, corre-se o risco de, na hora de juntar os conceitos, não ficar em harmonia e resultar numa bagunça visual.” Além dessa desarmonia estética, segundo ela, a mistura também pode trazer desconforto aos moradores, em contato visual direto.

Conheça os efeitos de cada cor:

Vermelho (força – ação – vitalidade)

O vermelho estimula a autoafirmação e recupera a consciência de si próprio.

Saúde: indicada para o tratamento de anemia e apatia.

Alaranjada (prazer – vontade – expressão)

A cor alaranjada facilita a expressão e ajuda a criar um bom nível de diálogo entre as pessoas. Elimina a depressão e a tristeza.

Saúde: alivia câimbras e espasmos musculares. Fortalece os ossos. Estimula as glândulas mamárias para aumentar a produção de leite no pós-parto.

Amarelo (criatividade – alegria – espontaneidade)

Cor que proporciona clareza mental e deve ser utilizada sempre que precisar de criatividade e concentração. Estimula a paciência.

Saúde: ativa a regeneração dos tecidos e acelera processos de cicatrização. Também auxilia na digestão e ativação do sistema linfático. Recomendado para tratar doenças de pele.

Verde (equilíbrio – cura – renovação)

Cor calmante do sistema nervoso. Fundamental para o tratamento do estresse. Permite uma compreensão maior da vida e do mundo.

Saúde: regulariza a pressão arterial e promove o equilíbrio do corpo inteiro. Tem propriedades bactericidas e desinfetantes.

Azul (calmante – relaxante – paz mental)

O azul traz quietude e paz mental. Reduz tensões e promove a expansão da consciência.

Saúde: recomendada nos casos de doenças inflamatórias e tratamentos para audição. Também auxilia no bom funcionamento da glândula tireóide.

Violeta (intuição – meditação – espiritualidade)

Cor que permite o perfeito sincronismo dos ritmos corporais. Transforma as vibrações mais baixas nas mais elevadas. Controla a irritação e é considerada um raio purificador das ideias.

Saúde: pode ser utilizada no tratamento de todas as doenças mentais e nervosas.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Adblock detectado

Por favor, apoie-nos desativando sua extensão AdBlocker de seus navegadores para o nosso site.