Home Noticias O que é ter uma ‘vida normal’?

O que é ter uma ‘vida normal’?

por Lud Hayashi

Em tempos de pandemia, incertezas, medos, insegurança, quarentena que a vida e rotina dos brasileiros mudou completamente, te pergunto: o que seria voltar a ter uma vida normal?
O vírus Covid-19 veio para nos fazer rever valores, conceitos e pre-conceitos e de que forma estamos vivendo, investindo o nosso bem mais valioso, o tempo.
Antes, não o argumento geral da nação era não ter tempo para ir a Igreja, não conseguia cuidar da saúde, ter tempo de qualidade com a família e com os filhos. Hoje, com todo tempo do mundo, as pessoas não sabem o que fazer, estão isolados numa casa e male má se falam, muitas vezes os recados são via whatsapp.
Não tem mais aquele momento gostoso em família, todos reunidos a mesa, colocando os assuntos em dia, falando o que fizeram, um irmão entregando o outro e ao mesmo tempo um lembrando algo engraçado e hilário e todos caem na gargalhada.
Aliás, quando foi a última vez que você riu até doer a barriga? Que você sentou para saber algo da sua esposa, do seu filho ou contar algo que você fez? Sabe… compartilhar momentos. Ou prefere o fazer nas redes sociais?
Nesses tempos vimos que o vírus não ‘atinge’ somente uma classe social, faixa etária. E que o dinheiro não compra vaga na UTI, nem o respirador. Pois no pico da pandemia falta suprimentos, as vagas não conseguem atender a demanda, os profissionais mesmo trabalhando o dobro da carga horária não conseguem dar conta chegam a exaustão física e mental e acabam adoecendo também.
Antigamente o plano era constituir uma família, trabalhar para sustenta-la, fazer um pé de meia caso ‘der’ e quando aposentar desfrutar, descansar, viajar. E agora?
Será que podemos pensar em aposentadoria? Com a reforma da previdência? Com tudo o que estamos vivendo e percebendo que a vida é um sopro?
Não quero assustar, escandalizar ninguém. Apenas te fazer enxergar que se você acordou hoje é tremendamente abençoado, comece a desfrutar de tudo o que Deus te deu, não deixe nada para amanhã.

Artigos relacionados

Deixe um comentário