Home Cultura Professor adapta lousa em caminhão para levar educação a alunos de comunidades remotas

Professor adapta lousa em caminhão para levar educação a alunos de comunidades remotas

por Lud Hayashi

Desde o início da pandemia, escolas e universidades do mundo todo precisaram se adaptar, afinal, a educação não pode parar nunca! No entanto, o desafio é maior ainda em relação aos estudantes sem acesso à internet, impossibilitados de acompanhar o ensino à distância. Pensando neles, muitos professores estão dando um “jeitinho” e este é o caso do mexicano Salvador Olvera Marín, que adaptou uma lousa em seu caminhão.

professor adapta lousa caminhao 1
Foto: Televisa

Desde então, Salvador tem levado educação aos alunos de comunidades remotas e sem acesso à internet. Temos muito a agradecer à tecnologia, mas vale lembrar que não precisamos ficar presos à internet para aprender, não é mesmo? E o melhor de tudo é que sua sala de aula adaptada não oferece riscos a ninguém, já que ele ensina ao ar livre.

professor adapta lousa caminhao 2
Foto: Twitter @vickolvera

O professor vive em La Sierra de Querétaro, uma região rural onde poucas pessoas têm computador e wi-fi em casa. E como o México cancelou as aulas presenciais desde março de 2020, esta foi a única maneira que ele encontrou de continuar ensinando estes jovens, que precisam mais do que nunca de uma boa educação.

professor adapta lousa caminhao 3
Foto: Twitter @vickolvera

Salvador ficou conhecido quando um morador da região compartilhou uma imagem dele ensinando em sua escola adaptada. Uma vez instalada a lousa, ele avisou todas as famílias da região que pandemia não é sinônimo de férias e que passaria em diferentes horários do dia para ensinar diferentes turmas.

professor adapta lousa caminhao 4
Foto: Twitter @Fherdsan

Conhecido como ‘Chava’, a Comissão de Educação e Cultura do Congresso do México, homenageou seu trabalho, reconhecendo que professores como ele é tudo aquilo que nossa sociedade precisa agora. Mais do que merecido, né?
Ele explica que os alunos não têm o mesmo desempenho de quando estão na escola, mas que isso é melhor do que nada. “Não é o mesmo desempenho de quando você está presencial na escola, mas para mim é muito satisfatório que as crianças estejam progredindo. Seria pior se não fizéssemos nada”, afirma.

De fato, um dos maiores ensinamentos da pandemia do novo coronavírus é que não devemos depender tanto da internet. A vida analógica está aí e está sendo a saída para milhões de jovens no mundo inteiro.
Fonte: UPSOCL

Artigos relacionados

Deixe um comentário