Home Noticias Quais medidas a OMS recomenda para tentar frear o rápido avanço da varíola do macaco

Quais medidas a OMS recomenda para tentar frear o rápido avanço da varíola do macaco

Doença é transmitida por contato próximo entre pessoas, e eventos sociais são potenciais locais de disseminação no surto atual

por Lud Hayashi

O avanço da varíola do macaco para mais de 40 países em menos de dois meses acendeu o sinal de alerta em agências sanitárias internacionais, a começar pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Por ser um vírus que exige contato muito próximo entre pessoas para ser transmitido, as medidas de controle são, em sua maioria, um pouco menos severas do que as da Covid-19, por exemplo, embora possam se sobrepor em alguns casos.

O contato de pele ou por gotículas respiratórias (fala próxima ou beijos) é descrito como a principal forma de se infectar com o vírus causador da varíola do macaco.

A preocupação das autoridades se dá porque o surto atual tem sido associado a reuniões de pessoas, especialmente a festas.

“Reuniões e eventos que envolvam contato físico, incluindo sexo, podem representar um ambiente propício para a transmissão do vírus da varíola dos macacos, se envolverem interações próximas, prolongadas ou frequentes entre pessoas, o que por sua vez pode expor os participantes ao contato com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados. Reuniões planejadas em áreas onde foram detectados casos de varíola podem ser mantidas com segurança com algumas precauções e compartilhamento de informações conforme necessário”, acrescenta a organização.

Artigos relacionados

Deixe um comentário