Home Eventos ‘Superlua dos Cervos’? Entenda o fenômeno que ocorre nesta quarta

‘Superlua dos Cervos’? Entenda o fenômeno que ocorre nesta quarta

por Lud Hayashi

A segunda superlua de 2022 pode ser observada nesta quarta-feira (13). Esta é conhecida como ‘Superlua dos Cervos’. O melhor momento para observar a Lua é quando ela está nascendo até uma hora após o nascimento no horizonte. “Quando a Lua está nascendo, tem aquela ilusão de óptica que faz a Lua parecer maior por termos ponto de referência”, explica Miguel Fernandes Moreno, coordenador do Gedal (Grupo de Estudo e Divulgação de Astronomia de Londrina). Caso você tenha o costume de usar apps de astronomia, eles podem ajudar a descobrir as melhores posições para observação da Superlua.

Lua dos Cervos?

Os povos nativos norte-americanos batizam as Luas Cheias de acordo com fenômenos naturais. Por exemplo, a última Superlua, de junho de 2022, foi a “Superlua de Morango”. Desta vez, trata-se da “Superlua dos Cervos”. Segundos os povos, essa seria a época na qual os chifres dos Cervos se regeneram, pois eles caem durante o inverno do Hemisfério Norte, e crescem de novo no verão.

Segundo Moreno, são tradições, “se é que realmente são reais, são extremamente restritas”. “Eu, particularmente, não faço divulgação assim. Faço a crítica de que é algo muito restrito e é um estrangeirismo que eu julgo totalmente desnecessário”, ressalta.

O que é a Superlua

O coordenador do Gedal explica que a órbita da Lua ao redor da Terra não é um círculo perfeito. “É uma elipse assim como a volta da Terra e ao redor do Sol. Mas, essas elipses são muito pouco achatadas. Como não é perfeito, durante uma época, a Terra ao redor do Sol está um pouquinho mais próxima, que a gente chama de periélio. E chamamos de afélio quando está mais afastada do Sol. Mas são diferenças mínimas. E, em relação à Lua, chamamos de perigeu quando está mais perto da Terra, e apogeu quando está mais distante”, afirma.

Moreno diz que se você pegar duas fotos da Lua Cheia, sendo uma da Lua Cheia de perigeu, ou seja, uma Superlua, e uma Lua Cheia de apogeu, que alguns chamam de Minilua, e comparar as imagens, vai ver que dá um pouquinho de diferença mesmo. “O que acontece também é o seguinte. As pessoas estão desacostumadas a ficar olhando para o céu. E quando falam de Superlua de Morango, dos Cervos, as pessoas têm que prestar um pouco mais de atenção, principalmente, quando a Lua está nascendo, por volta das 18h, 18h e pouco. E quando a Lua está nascendo tem aquela ilusão de óptica que parece maior porque a gente tem ponto de referência”, explica.

Para explicar melhor a questão da ilusão de óptica, Fernandes conta que existe uma experiência para observar a Lua que você faz com seu dedo mindinho. “Você pega a Lua Cheia nascendo bem grandona no horizonte. Você estica seu braço e seu dedo mindinho. Tampa a Lua com a ponta do seu dedo mindinho. E quando ela estiver lá no alto no céu, por volta da meia-noite, você faz o mesmo teste. Vai estar do mesmo tamanho”, pontua.

Artigos relacionados

Deixe um comentário