Home Noticias ‘Prefiro pagar a luz e ficar sem gás’, diz moradora da Zona Sul de SP

‘Prefiro pagar a luz e ficar sem gás’, diz moradora da Zona Sul de SP

'Prefiro pagar a luz e ficar sem gás', diz moradora da Zona Sul de SP

por Lud Hayashi

Famílias da capital paulista estão procurando formas de driblar as dificuldades financeiras para conseguir se alimentar – algumas têm recorrido ao fogão a lenha para o preparo das refeições.

Maria Aparecida, moradora da Zona Sul, revela não têm condições de bancar todas as contas da casa e precisa fazer escolhas dentro das necessidades mais básicas para viver.

“O gás está muito caro, ou eu pago a luz ou pago o gás. Prefiro pagar a luz e ficar sem gás”, contou Maria Aparecida, moradora do Grajaú, extremo Sul da cidade de São Paulo.

Nos últimos 12 meses, o preço do botijão de gás disparou em todo o país. Em média, a alta registrada foi de 32,3%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dona Cida cozinhando em fogão a lenha improvisado na Zona Sul de SP — Foto: Reprodução/TV Globo

Dona Cida cozinhando em fogão a lenha improvisado na Zona Sul de SP — Foto: Reprodução/TV Globo

Ela é empregada doméstica e construiu o próprio fogão a lenha a partir de peças que conseguiu com conhecidos. Uma porta de geladeira, tijolos, parafusos e uma chapa de metal servem de base para a queima da madeira.

A fumaça liberada no processo é o que mais a incomoda. Se ela pudesse escolher, disse que optaria por cozinhar com gás.

“Com o gás a pessoa não leva tanta fumaça na cara. A lenha a gente leva bastante fumaça, é arriscado”, relatou ela, que precisou recorrer ao fogão improvisado devido à crise econômica intensificada com a pandemia.

Dona Cida colocando lenha em fogão improvisado — Foto: Reprodução/TV Globo

Dona Cida colocando lenha em fogão improvisado — Foto: Reprodução/TV Globo

Na mesma região, a catadora de reciclagem Cristina de Ramos vive uma situação similar para conseguir cozinhar e alimentar as três filhas em idade escolar.

“Eu não aguento mais ficar toda hora assim, abanando o fogo pra poder esquentar a comida pra elas (as filhas) poderem comer”, disse a moça.

Arroz cozinhando em fogão improvisado no chão — Foto: Reprodução/TV Globo

Arroz cozinhando em fogão improvisado no chão — Foto: Reprodução/TV Globo

A estrutura utilizada por Cristina para o preparo dos alimentos é ainda mais simples e improvisada – um buraco cavado no chão, coberto com uma chapa de metal. Para proteger a área da chuva, ela inclina uma tábua sobre o “fogão”, fazendo uma espécie de cobertura.

Além da posição desconfortável na qual ela passa horas cozinhando, outro fator de grande incômodo para a mãe é a fumaça, também mencionada por Dona Cida.

Cristina sentada ao lado do fogão improvisão enquanto espera os alimentos cozinharem — Foto: Reprodução/TV Globo

Cristina sentada ao lado do fogão improvisão enquanto espera os alimentos cozinharem — Foto: Reprodução/TV Globo

Cristina relatou que na região onde mora, o botijão de gás mais em conta custa R$ 105, mas, quando o salário permite comprá-lo, precisa fazer uma longa caminhada para buscar o item, já que a empresa que vende o gás não realiza entregas em seu endereço.

Fogo aceso com papel — Foto: Reprodução/TV Globo

Fogo aceso com papel — Foto: Reprodução/TV Globo

Artigos relacionados

Deixe um comentário